Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Apresentação
Início do conteúdo da página

Apresentação

Publicado: Sábado, 02 de Janeiro de 2021, 22h23 | Última atualização em Sábado, 02 de Janeiro de 2021, 22h25 | Acessos: 172

Ensino de Ciências e Matemática constitui uma área de pesquisa estratégica ao desenvolvimento socioeconômico da Amazônia e do Brasil. Sua importância às políticas públicas básicas, ao processo de humanização das pessoas e à construção da cidadania justifica a organização deste campo de conhecimento numa política de estado, específica ao setor, numa região continental como a Amazônia ocidental.

Multiplicam-se e qualificam-se os debates, estudos, análises e avaliações para a formação de professores em Ciências e Matemática, em todos os níveis. Escolhas de concepções, novas centralidades acadêmicas e formatos curriculares impõem-se como prioridades neste debate. Conteúdos, habilidades, hierarquias, produção científica, natureza, cultura, investigação, abstração, dedução, teoria, experimentação, professor, escola, aluno, sociedade, estrutura, taxionomia, integração temática, interdisciplinaridade, cognição, humanismo, inovações tecnológicas, cibernética, cidadania e mercado são noções e categorias próprias deste processo de discussão e escolhas técnicas e políticas.

O PPG-ECIM da UFAM propõe-se criar novos elementos que qualifiquem a educação científica na Amazônia nesta conjuntura complexa. A Amazônia possui péssimos indicadores educacionais e científicos. O investimento do Governo Federal em políticas educacionais nesta Região, na última década, contribuiu para diminuir suas desigualdades sociais, embora ainda se encontra distante ao atendimento de suas demandas de formação científica qualificada.A existência de 32mil professores, com licenciatura plena em pedagogia e em Ensino de Ciências (Física, Química e Biologia) e Matemática, em atividades regulares nas redes de ensino do Estado do Amazonas (2010; dados da SEDUC), reafirma a importância deste programa de pós-graduação para a região. A exigência por melhoria da qualidade de Ensino de Ciências e Matemática na educação básica potencializa esta demanda pública.

A existência do PPG-ECIM constitui dever constitucional do Estado brasileiro e uma dívida cívica que precisa ser exercitada, institucionalizada e democratizada junto às populações regionais, considerando a socioeconomia e a importância geopolítica da Amazônia, e suas relações com os princípios estruturantes da ciência moderna. A “Amazônia” é a região sul-americana com condições climáticas caracterizadas por altas temperatura, umidade e precipitação pluviométrica, e que abrange parte do Brasil, Peru, Equador, Bolívia, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana e Guiana Francesa, totalizando 6,5 milhões de km2, dos quais 5 milhões de km2 se constituem de florestas primárias. Nesta região encontra-se a maior biodiversidade mundial em área contígua, um terço das reservas mundiais de florestas latifoliadas, um quinto da água doce superficial da Terra, além de se constituir uma entidade física relevante às estabilidades Mecânica, Termodinâmica e Química dos processos atmosféricos em escala planetária.

A parte brasileira - conhecida como Amazônia brasileira ou Região Norte - é formada pelos estados do Amazonas, Acre, Pará, Amapá, Roraima, Rondônia e Tocantins. A Amazônia Legal, denominação existente a partir de 1966, abrange, também, a parte oeste do estado do Maranhão e parte do estado do Mato Grosso, totalizando 4.987.247 km2, 58% da área do Brasil e 40% da América do Sul que corresponde a 5% da superfície terrestre. 

Destaque ao Estado do Amazonas com: 3,1 milhões de habitantes, 1.558.987 km2, 62 municípios, uma malha hidrográfica com 25.000 km, um Polo Industrial com faturamento de US$40 bilhões em 2011, 96% de sua cobertura vegetal sem perturbação antropogênica e 70 povos indígenas em sua matriz antropológica. O entrelaçamento entre a física, química e a biologia na região põe desafios novos ao Ensino de Ciências e Matemática e às linguagens explicativas das Ciências da Natureza. Considerada a principal referência ecológica mundial, a Amazônia potencializa diversas pesquisas científicas, em todas as escalas espaciais e temporais. A história universal registra inúmeras contribuições da Amazônia à construção da ciência moderna. Os projetos europeus nessa região, entre os séculos 16 e 19, confirmam esta tese. A condição de maior biblioteca viva do planeta reserva um lugar especial para a Amazônia.

Numa conjuntura que funde a Amazônia às Ciências da Natureza e às Ciências da Vida, em especial à Biologia, reabrindo especulações filosóficas clássicas com impactos diretos nos fundamentos teóricos e empíricos do Ensino de Ciências. As novas formas de organização das matrizes industriais e das profissões também põem problemas inovadores às estruturas de ensino de ciências e matemática. Repensar e reconstruir a história universal ponderando-a e relativizando-a conforme as culturas e contribuições etno científicas de todos os povos do mundo, também constituem responsabilidades dos historiadores, dos filósofos e dos professores de Ensino de Ciências e Matemática.

O Estado do Amazonas possui atualmente mais de 16 instituições de ensino superior, públicas e privadas, com uma população universitária que ultrapassa 100 mil alunos, e em acelerado processo de institucionalização de programas de pós-graduação. O Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática na UFAM é determinante à construção de novas estratégias e projetos dirigidos à melhoria de qualidade de ensino de ciências e matemática na região Norte.

registrado em:
Fim do conteúdo da página